EM_LOGO_transpare.png
Etnomatematicas transparente.png
White on Transparent.png
VEm.png
 

Getúlio Rocha Silva

VEm Humanistas chipou Matemática, Conhecimento, Cultura e Esperança


Sou licenciado em Matemática há 15 anos e me interessei pela Etnomatemática na Graduação. Participar do VEm Humanistas foi uma significativa oportunidade de reencontrar virtualmente e interagir com teóricos(as) que foram fundamentais para o desenvolvimento de minha pesquisa de mestrado no Assentamento Rural Natur de Assis, localizado em Santa Inês- BA. Durante o evento, o chat “bombou”, permitindo informar-me sobre relatos, experiências e estudos etnomatemáticos desenvolvidos em diferentes regiões do Brasil e de outros países. Desse modo, além de encontro acadêmico, o VEm Humanistas foi, também, uma grande celebração fraternal. Os organizadores e os/as do evento souberam dosar conhecimentos científicos de Educação Matemática e de Educação com discussões sobre estudantes, sobre nós, sobre a escola e sobre a vida.

A diversidade de enfoques, de abordagens e de metodologias apresentados pelos palestrantes durante o evento ratificou a polissemia e as características transdisciplinar e transcultural do Programa Etnomatemática. As apresentações e os debates confirmaram o potencial integrador e dinamizador desse Programa de Pesquisa, revitalizando em mim e, certamente, em dezenas de outros participantes o desejo de que o Ensino de Matemática se torne mais democrático e acessível.

O VEm Humanistas me deixou muito feliz e esperançoso de que num futuro próximo a Matemática Escolar não seja mais responsável por exclusões escolares, pela interrupção de sonhos. Que o respeito a todas as culturas, dimensão mais importante da Etnomatemática (D’AMBROSIO, 2005), de acordo com o seu principal fundador, se torne dimensão de toda a Educação Matemática Minhas expectativas sobre o evento foram contempladas. Torço para que ofertem outra edição do Vem Humanistas em 2021. Agradeço ao EtnoMatemaTicas Brasis e ao Matemática Humanista pela oportunidade. Abraço Olenêva Sanches, abraço Carlos Mathias. Gratidão.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Etnomatemática – elo entre as tradições e a modernidade. Belo Horizonte:Autêntica, 2005.