EM_LOGO_transpare.png
Etnomatematicas transparente.png
White on Transparent.png
VEm.png
 

Nivalda Batista de Melo

Descoberta da Etnomatemática no evento “VEm Humanistas”


Sou professora alfabetizadora na Educação de Jovens e Adultos - EJA, trabalho na Rede Municipal de Contagem/MG. O “VEm Humanistas” foi apresentado para mim na Oficina "A matemática na EJA em tempos de pandemia" ofertada pelo CAEM - Centro de Aperfeiçoamento do Ensino de Matemática da Universidade de São Paulo. Ressalto que a inscrição na Formação de Professores em Matemática foi uma decisão de superação, pois sendo graduada em Pedagogia, entendia que o público para esses cursos/oficinas seria os Licenciados em Matemática.

Eu não conhecia o Programa Etnomatemática. Quanta riqueza existe nas matemáticas na perspectiva humanista! Minha visão era do conhecimento matemático dominante. Essa oportunidade despertou-me o desejo de participar cada vez mais, desaprender e ser desafiada a construir outras práticas pedagógicas de resgate de conhecimento dos educandos jovens e adultos.

Segundo Ubiratan D’Ambrosio, a metáfora das gaiolas epistemológicas e a dinâmica dos encontros culturais são o ciclo do conhecimento. Há muitas maneiras pelas quais as populações diferentes se encontram. Em todos os encontros há uma troca de caracteres culturais, tais como língua, religiões, comportamento e etiquetas, nutrição e culinária. Cada encontro do “VEm Humanistas” proporcionou a compreensão da Filosofia Humanista da Matemática que se configura em meio as perspectivas culturais das matemáticas, que há diálogo envolvendo a Matemática e a difusão do conhecimento matemático. Fui percebendo que a partir da própria identidade, o outro tem uma contribuição a fazer, e é desejável que ele aprofunde e exponha seus conhecimentos para que o debate social seja completo. Há sempre o espaço para o diálogo.

No tema: Étno dos excluídos, o Professor Carlos Mathias reporta ao sentimento do amor, nos dizendo que é o autêntico reconhecimento do outro, que torna possível colocar-se no lugar do outro para perceber o que há de autêntico ou pelo menos de compreensível no meio das suas motivações e interesses.

Aguardo ansiosamente o próximo “VEm Humanistas”.

D’Ambrosio Ubiratan. Visão historiográfica da Etnomatemática como empreendimento humanista, in <https://www.matematicahumanista.com.br/vemhumanistas>, consulta em 24/11/2020.

Evento: “Vem humanista” in site: <https://www.matematicahumanista.com.br.>